Essa frase era recorrentemente proferida por Robert Capa, fotógrafo húngaro, nascido em 1913: “Se as fotos não são suficientemente boas, é porque não estou suficientemente perto”.

Uma de suas fotos mais conhecidas mundialmente é esta:

Morte do Soldado Legalista, 1936

Em plena Guerra Civil Espanhola, Capa registra o exato momento em que um soldado das forças republicanas é atingido fatalmente na cabeça. Se observarmos de perto, percebemos a saída da bala do crânio do soldado.

O que impressiona nessa foto é a captura do evento. A captura do instante imponderável. O soldado nem havia caído ainda, e talvez mesmo nem a própria morte havia se consumado. A fotografia é isso: o congelamento do inominável, do instante arredio, um fração do momento contínuo, e que às vezes é chocante.

Renan Belmonte.