Conforme li no blog de Gustavo Mantovani, a origem icônica do coraçãozinho que comumente representamos com as duas mãos está incorreta.

Assim, muito indignado com a tradição errônea de representação desse símbolo vital, eu decidi levar à frente a campanha pela opção anatomicamente correta de se fazer o coração:

Dessa maneira, a representação deve ser feita assim:

Sublinho que essa é uma campanha levada adiante, e não criada por por mim. Sabe quando aquele amigo faz uma piada e você acredita que ele não irá contar outra, mas ele conta? Então…

Pra terminar: se é pra fazer, façam corretamente!