Esse post é uma homenagem a Roland Barthes, como muitos outros que ainda escreverei. Ele é um dos melhores escritores que já houve; encontra-se nas regiões do alto, não visitadas por quase ninguém… Com vocês, na opinião dele, o que é ser um escritor:

O escritor está possuído por um tirano deus interior, que fala a todo instante sem se importar com as férias do seu médium. Os escritores estão de férias, mas a Musa está desperta e produz ininterruptamente. (Roland Barthes, O escritor de férias).

O escritor produz mesmo no sono, mesmo na exaustão, mesmo nas férias. Há algo que – apesar de tudo – leva-o a falar ou a escrever. Empurra-o. Nasce dele. Os bons escritores não precisam se defender. Sua obra é maior que tudo isso. Maior do que todos os burburinhos que podem haver.

Renan Belmonte.